Receita: Purê de batata doce

Agora que você já conhece os benefícios da batata doce, que tal experimentar pratos variados com o carboidrato do bem? Uma opção é a o purê de batata doce, que dá um gostinho diferente a um prato já tradicional e é bem fácil de preparar.

Você vai precisar de:

  • 500g de batatas-doces cozidas, descascadas ainda quentes
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo
  • 1 colher (sobremesa) de canela
  • 2 colheres (chá) de manteiga
  • Sal a gosto

Como fazer:

Em uma tigela, corte as batatas descascadas e ainda quentes. Adicione o açúcar, a canela, a manteiga e o sal e amasse bem. Coloque na forma, e leve para assar no forno quente por 15 minutos. Outra opção, é adicionar marshmallows antes de levar a mistura ao forno.

Setembro é mês de figo!

Setembro é um mês privilegiado pela gama de frutas que se multiplicam nesta época, uma delas é o figo, que pode trazer muitos benefícios a sua saúde, saiba quais são:

Rico em glicídios e potássio, o figo é importante para a manutenção da concentração do líquido das células. E apresenta boa quantidade de niacina, que mantém a saúde da pele, nervos e aparelho digestivo. Além de conter fibra, que é ótimo para estimular a função dos intestinos.

É possível aproveitar ainda as folhas da fruta, no preparo de licores, chá e até xaropes. Desta forma não há desperdício e todos os seus benefícios são aproveitados.

Cuidados:

Na hora de comprar o figo, prefira os que estão firmes, nunca os que tenham bolor, nem partes moles ou amassadas.

A fruta contém uma grande concentração de açúcar, portanto, fermenta facilmente e não deve ser guardada por muito tempo.

Lave bem antes de consumi-lo, se preocupando em tirar todo o pó branco que pode ser encontrado na fruta. O sulfato de cobra é uma substância venenosa usada para prevenir pragas.

Consumo:

Por ser uma fruta delicada, a fruta deve ser preparada com cuidado, e consumida ao natural. Uma boa dica é comer com geleias e tortas.

10 dicas para manter uma alimentação saudável

Fala-se muito sobre a importância de manter uma alimentação saudável, e sobre como e o que comer. Um bom hábito alimentar é importante para o crescimento e o desenvolvimento fisiológico, a manutenção da saúde e do bem-estar. Mas pouco se fala sobre como é difícil manter esse hábito na correria do dia a dia.  Separamos 10 dicas de como se manter bem alimentado, mesmo com a rotina que exige tanto, o que pode ajudar na própria rotina, te deixando mais relaxado e com mais energia todos os dias.

1 – Comece comprando certo:

Já explicamos aqui sobre a importância de avaliar um produto no supermercado antes de comprar, neste caso, o pão integral. Mas a regra se aplica a tudo que está embalado nas prateleiras. Cheque a composição e os índices de sal, açúcar e todas as outras opções disponíveis. Para saber o que é melhor para você, claro, procure um nutricionista, que vai dizer o que priorizar na hora da compra.

Para uma boa alimentação, não basta comprar alimentos, é importante escolher os componentes certos e nas quantidades certas.

2- Mantenha de cinco a seis refeições por dia: 

Mesmo naqueles dias em que tudo está complicado e você acaba se atrasando pela manhã, o que dificulta o resto do dia, não se pode dispensar nenhuma refeição para compensar nos seus afazeres.

Não pule nenhuma refeição, mantenha o desejum, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia, de preferência, de três em três horas. Esta prática nos faz comer menos em cada uma delas, já que não haverá longos períodos jejum, isso ajuda a equilibrar o seu corpo e dar a energia necessária para o dia inteiro, nada de preguiça por causa de muita comida.

Para quem tem que estar na rua o dia inteiro, ótimas opções são frutas secas, como banana, uva, maçã e abacaxi, ou ainda as oleaginosas, como nozes, castanhas e avelã. São todas fáceis de levar e ter por perto.

3- Incluir cereais integrais no cardápio 

Não precisa mudar sua alimentação diária, apenas substituir alguns alimentos que come diariamente, por suas versões integrais. O arroz, o macarrão e o pão são exemplos disso.

Você pode ainda adicionar a suas receitas diárias, cereais como aveia, amaranto e centeio. Eles são ricos em fibras que causam saciedade, auxiliam no controle dos níveis de glicose e colesterol sanguíneos, além de regularizarem o trânsito intestinal.

4- Reduzir o consumo de gorduras: 

Dê preferências as carnes magras (peixes, peito de frango e de peru), para consumir no dia a dia, deixe a carne vermelha e a carne de porco para o fim de semana, quando puder descansar e digerir bem os alimentos, que são muito gordurosos e podem fazer mal durante a semana.

É importante também evitar frituras, especialmente em restaurantes, onde pode ser usado muito óleo no preparo. Prefira opções cozidas, assadas ou grelhadas.

Se ainda preferir frituras pela rapidez do preparo, prefira óleos vegetais. São ricos em gorduras insaturadas benéficas ao organismo e auxiliam na redução dos níveis de colesterol. Você pode usar: azeite de oliva extravirgem, óleo de linhaça, óleo de macadâmia, óleo canola, óleo de gergelim etc.

5- Com frutas, verduras e legumes 

Devemos comer os três tipos de alimentos diariamente, dando preferência as orgânicas, que possuem maior teor nutritivo – são fontes de vitaminas e minerais que estimulam o sistema imunológico e protegem contra vírus e infecções.

6- Utilizar o sistema “a vapor” 

É um bom método para cozinhar legumes, que ajuda a preservar melhor os nutrientes e a evitar adição de gorduras.

7- Evite fast-food e produtos industrializados:

Ricos em sódio, açucar refinado e gordura trans. Não há motivos para você preferir este tipo de alimentação diária, ao invés de levar sua própria comida para o trabalho. Todas substâncias, se consumidas em excesso, são nocivas ao organismo.

8- Se policie na ingestão de líquidos: 

Se o problema for falta de tempo para preparar um suco de frutas natural, prefira comprar os sucos prontos orgânicos ou chás gelados do que bebidas alcoólicas ou refrigerante. Além de benéficas, são mais refrescantes.  

Evite também o hábito de beber enquanto come. Isto atrapalha o processo digestivo, podendo causas gases e constipação. Coma, depois beba seu suco.

É importante também sempre manter uma garrafa de água por perto. São necessários cerca de oito a 10 copos de água todos os dias para garantir a hidratação adequada, melhorar o funcionamento do intestino, facilitar a filtração do sangue e desintoxicar o organismo.

9- Pratique exercícios físicos regularmente:

Procure um horário na agenda para praticar exercícios ao menos quatro vezes por semana. É recomendável pois além de dar energia e manter o corpo firme, ajuda a prevenir o sobrepeso e a obesidade, melhora a oxigenação, a circulação sanguínea, e aumenta a resistência do organismo.

10- Almoce em locais calmos:

Almoçar pensando nas obrigações que tem a fazer assim que acabar sua pausa, ouvindo barulhos e vozes do escritório ou sendo interrompido para assinar papeis ou qualquer outra coisa relacionada ao trabalho não é nada saudável. Atrapalha a digestão e só piora ansiedade, o estresse e o nervosismo.

Alimentação que combate a depressão

Dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, e os índices de morte só preocupam. Uma pesquisa do núcleo de epidemiologia psiquiátrica da Universidade de São Paulo (USP) concluiu que 9,5% da população urbana brasileira já tiveram pensamentos suicidas e 3,1% tentaram tirar a própria vida.

A maioria desses tristes destinos partem da depressão, mal que deve ser combatido com a ajuda de psicólogos e médicos especialistas, mas que pode ter seus efeitos e sintomas combatidos com a alimentação. Confira agora alimentos que podem ajudar durante o tratamento.

Frutas: 

Use os agentes do bom humor, melancia, abacate, mamão, banana, tangerina e limão, ao seu favor, todas essas frutas são ricas em triptofano, um aminoácido que ajuda na produção de serotonina, neurotransmissor que atua no cérebro regulando sensações como humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, temperatura corporal, sensibilidade a dor, movimentos e as funções intelectuais.

Ovos: 

São uma fonte rica em tiamina e niacina (vitaminas do complexo B), e colaboram com o bom humor. É recomendado uma unidade por dia, no máximo. Quem tem colesterol alto deve se preocupar com o consumo em excesso, e evitar, principalmente a versão frita.

Veja cinco ideias de como preparar este alimento e aproveitar seus benefícios.

Folhas verdes:

Estudos comprovaram que um consumo elevado de folato, importante vitamina do complexo B encontrado nestes alimentos, está ligado a menor prevalência de sintomas depressivos. Indivíduos deprimidos podem apresentar baixos níveis de vitamina B12, levando a diminuição do folato e o desequilíbrio do metabolismo dos neurotransmissores do cérebro associados ao controle do humor. Os alimentos mais ricos em folato são as hortaliças folhosas verde-escuras (espinafre, brócolis, alface).

Carnes magras e peixes:

O triptofano presente nestas fontes de proteína, ajuda no combate da depressão e melhora o humor, pois aumenta a produção de serotonina, além de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, relaxar, criar a sensação de prazer e bem-estar e até induzir e melhorar o sono.

Aveia e centeio:

As duas opções são ricas em vitaminas do complexo B e vitamina E. Estes nutrientes são muito importantes na melhora do funcionamento do intestino, combatem a ansiedade e a depressão. A recomendação é de, pelo menos, três colheres de sopa cheia por dia.

Além dos cuidados com a alimentação, é necessário acompanhamento de especialistas.

Saiba mais sobre a Fibrose Cística

Esta semana (dia 5), é o Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística, doença também conhecida como Mucoviscidose.

Trata-se de uma doença genética, autossómica (não ligada ao cromossoma X), causada por um distúrbio nas secreções de algumas glândulas, nomeadamente as glândulas exócrinas (glândulas produtoras de muco). O dia é importante justamente por ser uma  doença pouco conhecida, por isso a Massima faz sua parte na divulgação e conscientização da Fibrose Cística.

Imagem: O Globo

O que é:

A doença afeta principalmente o fígado, pâncreas e pulmões, devido a uma alteração genética em algumas glândulas, produzindo secreções mais espessas que o normal. Não tem cura.

Sintomas:

Por ser uma doença genética, os sintomas podem começar a se manifestar nos primeiros dias de vida da criança, e ela deve receber o tratamento adequado para evitar a piora do quadro.

Os sintomas mais comuns são: Suor salgado, dores e inchaço abdominal, prisão de ventre grave, gases, enjôo, emagrecimento, tosse crônica, cansaço, dificuldade para respirar, catarro espesso, febre, baixo desenvolvimento da criança e pancreatite.

Tratamento:

O nível de tratamento para fibrose cística depende da idade do paciente e do grau de evolução da doença, mas os objetivos do tratamento serão sempre a manutenção adequada do estado nutricional e o tratamento das complicações respiratórias.

Fazendo partes da estrutura do tratamento a ingestão de medicamentos, sessões de fisioterapia e orientação nutricional.

Alimentação:

A orientação nutricional é uma fase muito importante para o tratamento da fibrose cística, primeiramente por estar associada com o melhor crescimento, melhora ou estabilização da função pulmonar. E em segundo lugar, a desnutrição tem muitos efeitos na função pulmonar, incluindo a diminuição imunológica pulmonar.

Por isso é necessária uma dieta rica em energia e gordura para melhor crescimento e maior sobrevida.

Agora que você sabe mais sobre a doença, procure um médico para ser melhor orientado e se necessário, começar um tratamento.