Como organizar sua geladeira

Você fica horas no supermercado escolhendo as melhores frutas, verduras e carnes para sua família. Compra tudo fresquinho mas chegando em casa guarda os alimentos de qualquer forma na geladeira.

A organização do seu eletrodoméstico é essencial para manter a saúde de toda a família. Você sabia que existem mais de 250 doenças que podem ser transmitidas por contaminação alimentar? Muitas delas podem ser evitadas com o correto armazenamento dos alimentos.

Confira nossas dicas para manter os alimentos dispostos da melhor forma na sua geladeira.

Antes de tudo, você deve limpar sua geladeira!

Retire as gavetas e lave-as com água e sabão. Para a parte interna, use uma esponja úmida com detergente ou sabão neutro. E não se esqueça da borracha da porta!

Com ela limpa, sua disposição tem que ficar parecida com esta:

organização geladeiraGaveta ou compartimento superior:

Na gaveta superior armazene carnes e frios. Tenha o cuidado de não lavá-los.

 

1ª Prateleira:

Na prateleira superior guarde os laticínios como iogurte, manteiga e requeijão. É interessante também guardar as sobras do dia e os alimentos que estragam facilmente, já que este compartimento está bem próximo do congelador. Apesar dos fabricantes recomendarem o armazenamento dos ovos na porta, você deve guardá-los na 1ª prateleira, assim você evita os movimentos bruscos da porta e também a variação de temperatura. Coloque-os na geladeira, aguarde 24 horas, lave-os e devolva-os à geladeira.

 

2ª Prateleira

Na prateleira intermediária você pode guardar leite, doces e até os enlatados, mas lembre-se de lavar as embalagens antes de abrir e guardar o conteúdo dentro de embalagens.

 

Gaveta

Este é o compartimento ideal para suas frutas e verduras, pois as mantém longe do congelador o que evita que o frio queime as folhas. Lave as folhas e frutas antes de guardá-las, seque-as bem e guarde-as em embalagens fechadas.

 

Porta da geladeira

Guarde as conservas, suco, vinagre e água, de preferência em recipiente de vidro, bem fechado. Cuidado para que o excesso de peso não prejudique o fechamento da porta!

 

Agora que você já conhece estas dicas, não vá entrar numa fria. Armazene corretamente os alimentos na sua geladeira, conservando-os por mais tempo e afastando você e sua família de doenças alimentares.

Damper, o tradicional pão australiano

 

Damper, pão australiano

O pão está nas nossas refeições quase todos os dias e é difícil encontrar quem não goste desta delícia.

Hoje você vai aprender a fazer uma receita para inovar aquelas formas básicas de consumir o pãozinho e além disso, vai trazer um pouco da culinária internacional para dentro de casa.

O Damper, tradicional pão australiano, significa “amortecedor” e tem este nome pois antigamente o fogo era amortecido para que a massa fosse colocado sob as chamas, coberto pelas cinzas. Na época, os australianos o comiam com carne frita e uma xícara de chá.

 

A receita é muito fácil de ser preparada e você vai ver como é divertido e gostoso mexer com massa de pão:

Você vai precisar de

  • 1 ½ colher de chá de sal
  • 03 xícaras de farinha de trigo com fermento
  • 80g de manteiga
  • ½ xícara de leite
  • ½ xícara de água
  • Farinha extra

Modo de preparo:

1. Peneire a farinha e o sal em um recipiente, misture suavemente com os dedos a manteiga até formar um massa homogênea, e formar bolinhas na massa, soltando das mãos.

2. Faça um círculo no centro dos ingredientes secos, adicione a água misturada com o leite, de uma só vez. Misture levemente com uma faca afiada fazendo movimentos de corte, amassando levemente.

3. Molde a massa de modo arredondado até ficar em forma de um pão de 18 cm de diâmetro e coloque em uma forma pincelada com manteiga . Com uma faca afiada, faça dois cortes estreitos em forma de cruz de aproximadamente 2 cm de profundidade. Borrife a parte superior da massa com leite e polvilhe um pouco mais de farinha sobre a massa.

4. Asse em forno preaquecido em temperatura alta por 10 minutos ou até que fique dourado. Logo após, reduza a temperatura para moderada e deixe assar por mais 15 minutos.

O Damper não deverá ser guardado e deve ser servido o mais rápido possível. Os australianos costumam comê-lo com manteiga, e não margarina, mas faça o que a sua imaginação mandar!

Aceitação alimentar: Crianças com câncer

 

INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR PARA O AUMENTO DA ACEITAÇÃO ALIMENTAR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES HOSPITALIZADOS COM CÂNCER.

CARVALHO, N.T¹; GANUZA, B. M²;  SANZ, R.³

1 – Gerente de Atendimento/Nutricionista Massima  Soluções  em Alimentação   – nutricao@gacc.com.br
2 – Coordenadora do Departamento Psicóloga CTFM/GACC – coordenacao.psicologia@gacc.com.br
3 – Coordenadora da Equipe Multidisciplinar CTFM/GACC – diretoria@gacc.com.br

 

INTRODUÇÃO

A redução da ingestão alimentar pode ser observada em grande parte
dos pacientes, seja por  fatores relacionados à doença, ao  tratamento, ou
mesmo a aspectos emocionais. No caso dos pacientes hospitalizados
em  tratamento oncológico, essa diminuição pode aumentar os  riscos
para  a  desnutrição  protéico  calórica.  Levando  em  consideração  os
fatores culturais, comportamentais e emocionais atrelados a aceitação
alimentar  durante  o  período  de  internação  hospitalar,  bem  como  a
importância  do  acompanhamento  nutricional  efetivo,  intervenções
multidisciplinares com estratégias  focadas para a oncologia pediátrica
são necessárias,  inclusive com o objetivo de minimizar as reações de
stress  comumente  observadas  nesses  pacientes  nos  horários  das
refeições

 

OBJETIVO

O presente estudo trata-se de um relato de experiência de implantação
de um programa multidisciplinar com o objetivo de aumentar a aceitação
alimentar e  ingestão calórica de crianças e adolescentes com câncer
durante o período de  internação hospitalar.

 

METODOLOGIA

As áreas de nutrição e psicologia, em parceria, desenvolveram duas
histórias  terapêuticas  envolvendo  fatores  emocionais  de  estímulo  à
alimentação, a  serem utilizadas nas  intervenções  com os pacientes,
aplicadas  como  fundo  das  bandejas  das  refeições. Os  horários  das
refeições  foram  flexibilizados,  bem  como  houve  mudanças  nos
cardápios  e  nas  porções  das  refeições  adaptados  para  a  pediatria,
oferecendo  opções  de  escolha  e montagem  lúdica  dos  pratos.  Um
protocolo de comunicação específico para a nutrição foi desenvolvido e
implantado, abrangendo inclusive a comunicação para as orientações
de alta. Os índices de satisfação do cliente foram monitorados, através
da pesquisa  já existente e  realizados no hospital no momento da alta

 

RESULTADOS

O  aumento  da  aceitação  alimentar  foi  expressiva,  sendo  observada
pelos profissionais da equipe multidisciplinar e pelos próprios pacientes
e seus acompanhantes. Após três meses de implantação do programa,
houve um aumento de 20% na satisfação da qualidade da alimentação e
uma  diminuição  de  30%  das  devoluções  de  dieta.Pesquisas  para
ampliar a compreensão dos  fatores que podem aumentar a  ingestão
alimentar  em  crianças  e  adolescentes  com  câncer  são  necessárias.
Entretanto, podemos observar que programas multidisciplinares podem
trazer  impactos  positivos  no  comportamento  alimentar  do  paciente
durante a  internação hospitalar.

 

 

 

Economize no mercado: De Abril a Maio

Todo mundo sabe que as frutas, legumes e vegetais têm época certa de plantio e colheita. Dessa forma, alguns meses são melhores para comprá-los em relação à qualidade e preço.

Vamos dar algumas dicas de quais alimentos comprar neste período e a melhor forma de escolhê-los no mercado, na feira ou na quitanda!

 

batatasBatata

Melhor época: de Janeiro a junho

Como escolher: Escolha as batatas mais duras, com a pele lisa, sem manchas nem brotos. Quanto mais cor a batata tiver, mais nutrientes ela possuirá.

Como conservar: Guarde as batatas fora da geladeira, em local escuro e fresco. O frio da geladeira faz com que o amido da batata se transforme em açúcar, o que pode dar cor e gosto estranhos ao alimento.

Dica: Não guarde as batatas perto das cebolas. Estes alimentos estimulam a decomposição de ambos.

Nutrientes: Vitamina B, C, fibras e carboidratos, que são absorvidos rapidamente pelo organismo.

Prefira consumi-las assadas ou cozidas e substitua a manteiga por iogurte para deixá-las mais molhadinhas!

 

 

rúculaRúcula

Melhor época: de maio a outubro

Como escolher: Os melhores pés de rúcula são os que possuem as folhas firmes e bem verdes. Quando “quebrados” as folhas murcham e amarelam mais rápido.

Como conservar: A rúcula não dura por muito tempo, então o ideal é comprá-la em pequenas quantidades. Na geladeira ela pode durar até 4 dias. Procure guardá-las em saco plástico ou pote com tampa.

Nutrientes: Vitamina K e B9. Possui substâncias antioxidantes, que reduzem o risco de diversos tipos de câncer e doenças cardiovasculares, e fibras.

 

 

Abóbora

Melhor época: de maio a setembro

Como escolher: Prefira as abóboras de casca lisa, sem brilho nem manchas. Quando muito brilhantes, é sinal de que foram colhidas prematuramente. As menores são mais saborosas!

Como conservar: Se não estiver cortada, a abóbora resiste a bastante tempo fora da geladeira. Se já estiver picada, mantenha-a dentro de sacos plásticos ou potes dentro da geladeira.      Você também pode congelá-la crua ou pré-cozida sem problemas!

Nutrientes: Betacaroteno, Vitamina C e E, fibras, ferro, fósforo e potássio. Por suas propriedades antioxidantes, a abóbora pode reduzir o risco da alguns tipos de câncer, doenças cardiovasculares e problemas nos olhos.

 

 

abacateAbacate

Melhor época: de janeiro a outubro

Como escolher: Escolha os abacates mais pesados. Os muito duros ainda não estão bom para consumo. Prefira os de casca verde-claro e sem manchas, porém algumas manchas marrons são normais e apenas superficiais, e não prejudicam a qualidade da fruta.

Como conservar: Se ainda não estiver maduro, guarde o abacate fora da geladeira. Quando maduro, guarde em local fresco e arejado. Se usar só metade do abacate, guarde a outra metade com casca, isso atrasa a decomposição da fruta!

Dica: Para evitar que o abacate fique escuro depois de cortado ou amassado, passe um pouco de limão na fruta!

Nutrientes: Vitamina C, fibras e folato, além das chamadas pró-anticianidinas e gorduras monoinsaturadas, substâncias que reduzem o colesterol.

 

Gostaram das dicas? Em breve postaremos mais frutas, legumes e vegetais da estação, ideais para quem quer mais qualidade nos pratos e menos gasto no bolso!

Mousse Diet de chocolate e Café

Muitos diabéticos sofrem na hora em que aquela vontade de comer doce aparece. Barras de chocolate, bolos e deliciosas tortas vêm à mente e deixam qualquer um com água na boca. E o pior: parece que quando você não pode comer, dá mais vontade!

Para aqueles que possuem restrições alimentares e precisam evitar o açúcar, fizemos esta receita especial de Mousse Diet de Chocolate com Café, que utiliza produtos alternativos ao açúcar e permitido aos diabéticos com moderação!

Aprendam a fazer e deliciem-se, mas lembrem-se, o diabético não deve ficar muito tempo sem comer. O ideal é manter uma média de 6 refeições ao longo do dia, incluindo os lanches intermediários.

 

Ingredientes:

Ovos 2 unidades
Claras em ponto de neve 2 unidades
Adoçante culinário 4 colheres
Cacau em pó 2 colheres
Café forte ¼ de xicará
Gelatina incolor e sem sabor 5 gramas
Agua 4 colheres de sopa
Creme de leite ligth 200 ml
Essência de baunilha 1 colher de chá
Raspas de chocolate diet

 

  1. Coloque os ovos e o adoçante em um refratário e leve ao fogo em banho-maria, batendo com uma batedeira manual até ficar uma mistura clara e encorpada, por cerca de 10 minutos.
  2. Adicione o cacau peneirado e o café. Mexa bem. Hidrate a gelatina na água fria e aqueça até derreter.
  3. Adicione a gelatina e a baunilha à mistura. Retire do banho maria e deixe amornar.
  4. Agregue o creme de leite e as claras em neve mexendo delicadamente.
  5. Divida a mistura em taças de sobremesa. Leve à geladeira para firmar e sirva em seguida.
  6. Decore com raspas de chocolate diet.

Bom apetite!