Arquivo da tag: alimentação saudável

Receita de pão caseiro 100% integral

Se você já sabe tudo sobre as diferenças dos pães integrais vendidos no super mercado, e decidiu que uma mistura caseira seria o ideal, aqui está a receita que vai mudar sua vida:

Você vai precisar de:

2 xícaras de água morna

1 ½ colheres (chá) de fermento biológico seco

2 colheres (sopa) de açúcar

3 ½ xícaras de farinha integral

1 ¼ colheres (chá) de sal

Modo de preparo:

Misture a água morna com o fermento e o açúcar e deixe por aproximadamente 10 minutos para que o fermento comece a agir. Depois, em uma vasilha a parte, misture a farinha integral e o sal. Adicione a mistura liquida à farinha aos poucos enquanto mexe bem por aproximadamente um minuto. Em seguida cubra a massa com o saco plástico. Deixe por u hora e trinta minutos, para que a massa dobre de tamanho.  Volte a mexer por mais trinta segundos e depois deixe  descansar com o plástico de novo por mais uma hora

Hora de moldar a massa: mexa levemente para remover os gases e molde a cuidadosamente em uma forma para pães. É nessa etapa que o pão irá adquirir aproximadamente 90% do seu tamanho e formato final. Aproveite para desenhar na massa como gostaria que ela fique formada.

Volte a cobrir com o plástico e deixe descansar por mais 40 minutos. Fique de olho pois, pelo estado líquido da massa, ela pode transbordar, e você vai precisar limpar as laterais.

Por fim, asse o pão no forno pré-aquecido em 180 – 200° C. Asse por aproximadamente uma hora até que fique dourado. Lembre-se de esperar esfriar um pouco antes de desenformar.

O poder do Zinco

O zinco está mais presente nas nossas vidas do que imaginamos. Nas frutas, está no abacate, no abacaxi, na ameixa, na banana, na maçã, manha, melão, morango… Entre os legumes, na abóbora, acelga, alface, agrião, batata, beterraba, brócolis, ervilha, aspargo, espinafre… Nos cereais e leguminosas como farinha de trigo, lentinhas, soja e no nosso arroz de todos os dias, além de os peixes e carnes.

A alimentação diária do brasileiro contribui para uma dose de zinco adequada. A deficiência do mineral no sangue, pode causar cansaço e fadiga, perda de peso, falta de apetite, queda de cabelo, problemas de pele, além de falta de memória e depressão. Ou seja, viver sem zinco nos enfraquece.

Para viver mais saudável, e com disposição, é importante incluir o zinco na sua alimentação ao menos com mais de dois elementos.

Conheça outros benefícios adquiridos pelo poder do zinco no nosso corpo:

1 – Prevene o Alzheimer

Estudos comprovaram que uma parcela dos pacientes com essa doença tem baixos índices de zinco circulando pelo organismo, o que contribui para a perda da memória. O mineral integra uma enzima chamada superóxido dismutase, que nos protege do estresse oxidativo. Na deficiente do zinco, o cérebro fica vulnerável à ação radicais livres.

2 –  Espanta a depressão

O Zinco melhora o quadro de depressão em mulheres jovens, por meio de um auxílio no fortalecimento de sinapses, sinais trocados entre os neurônicos.

3 –  Ajuda na cicatrização

Para quem recentemente fez tatuagens, aplicação de piercing e principalmente tem uma cirurgia e um processo de recuperação dela para passar, precisa caprichar na quantidade de fontes de zinco que come todos os dias. O zinco participa da fabricação de colagenase, enzima responsável por produzir colágeno – uma espécie de cimento da pele.

4 – Aumenta a imunidade

O zinco é o micronutriente com maior força e efeito sobre o sistema imunológico. Por isso, a queda na atividade da glândula timo, está relacionada diretamente com a carência do mineral, e torna as pessoas mais fracas e desprotegidas a doenças e infecções.

5 – Protege contra pneumonia

Neste caso o zinco pode, não só fortalecer o corpo, como também torna-lo imune e combater a pneumonia. É especialmente eficaz para as crianças com problemas pulmonares, acelerando a recuperação e barrando a resistência a antibióticos.

16 de outubro: Dia Mundial da Alimentação

Neste dia 16 de outubro se comemora o Dia Mundial da Alimentação, graças a a fundação da organização das Nações Unidas para a alimentação e a agricultura, em 1945, na mesma data. A celebração foi estabelecida em novembro de 1979 com os objetivos de:

  • Alertar para a necessidade da produção alimentar

  • Combater a problemática da fome, pobreza, e desnutrição no mundo

  • Reforçar a cooperação econômica entre países em desenvolvimento

  • Empoderar a população rural e melhorar suas condições de vida

Você que é leitor do blog da Massima já começa fazendo sua parte por buscar e seguir dicas para uma vida mais saudável para você e sua família, mas é sempre possível fazer mais. Que tal ler mais sobre a produção rural e orgânica de alimentos? Como levá-los a sua casa e incentivar tal produção, ou ainda, juntar-se a ONGs e programas sociais que pretendem acabar com a porcentagem de pessoas passando fome no Brasil ou no mundo?

A Massima aproveita esta ideia e deseja um feliz Dia da Alimentação a todos os envolvidos nisso diariamente.

Drible a ansiedade para comer bem

Cada pessoa pode apresentar uma das duas respostas diferentes a ansiedade quando o assunto é comida, um apoio nesses momentos. Ou você começa a perder o apetite e não come nada, ou você passa a comer muito mais do que costuma.

A ansiedade e consequentemente o estresse e a depressão são inimigos de quem busca por uma rotina de alimentação saudável, e para quem acaba comendo muito, para quem quer emagrecer também.

Consumir qualquer tipo de alimento sem nenhum critério, seja quantidade de calorias, gorduras e horários para consumo, pode elevar o seu peso, retenção de líquido e acúmulo de gordura, principalmente no abdômen.

Mas é claro que a alimentação é também a solução para o consumo desenfreado causado pela ansiedade, principalmente se a rotina saudável for combinada com atitudes positivas. Que tal imprimir as dicas abaixo, de como driblar a ansiedade e comer bem e de forma saudável, e colocar na sua geladeira como um incentivo para seu dia a dia?

Alimentação anti ansiedade:

– Se você tem fome toda hora ou perdeu o apetite em função da ansiedade, pequenas porções de castanha-do-pará, nozes, amêndoas ou sementes de girassol podem ser uma solução em ambos os casos. Elas são ricas em silênio, um mineral importante para o organismo, pois combate a ansiedade. Elas podem também proporcionar a sensação de saciedade, ajudando quem come muito a parar e nutrindo quem come de menos.

– Deixe frutas e legumes picados, prontos para mastigar, bem a vista na sua geladeira, de modo que quando você abra a porta já os veja e não busque por opções mais gorduras, como o chocolate por exemplo.

– Prefira sempre alimentos ricos em fibras e vitaminas do complexo B e E, encontradas principalmente na aveia e nos cereais integrais, essas substâncias também ajudam a combater a ansiedade e a depressão.

– Para passar o dia de bom humor, invista em alimentos com tiamina e niacina, vitaminas do complexo B. Além de ácido fólico e acetilcolina. Um exemplo de alimento rico de todos esses nutrientes é o ovo.

– Água é fundamental para a saúde em qualquer quesito, no caso da ansiedade, tente transforma-la em chás de camomila e erva cidreira, calmantes naturais. Beba de preferência a noite se estiver com dificuldades para dormir em função da ansiedade.

Dicas de atitudes para driblar a ansiedade:

– Não tente seguir padrões de dieta, não precisa começar uma dieta toda regrada na segunda-feira, aquele dia que vem cheio de anseios e cansaço, corte aos pouco as calorias que você tem adquirido em excesso por causa da ansiedade. Se você está comendo pouco, não precisa voltar a comer a quantidade de sempre da noite pro dia, vá adicionando nutrientes devagar, respeite seu tempo.

– Já não basta todos os sentimentos negativos que a ansiedade traz sozinha, não se deixe levar também por outra consequência dela: o estresse.  Procure métodos de relaxamento, reserve tempo para que você possa fazer o que você mais gosta.

– Fome ou vontade de comer? São duas coisas diferentes, e a segunda é uma consequência da ansiedade. Saiba distinguir quando você realmente está com fome  e precisa comer, de quando você quer descontar os sentimentos negativos na comida.

– A ansiedade pode vir de uma rotina corrida e estressante, e comer muito rápido pode ser um caminho para simplesmente deixar de comer. Procure estender os seus horários para almoço ou lanche do dia, para comer com paciência, sem pressa, e mastigar bem devagar, isso faz bem para seu corpo e sua mente, que vai encontrar no momento da refeição um momento de relaxamento e prazer.

Especial Copa: Alimentação saudável nos EUA

As oitavas de final da Copa do Mundo 2014 é sem dúvida, a mais disputada de todas as Copas. Os jogos estão cada vez mais difíceis, e até os favoritos, os países campeões mundiais ou com estrelas em campo, tem sofrido para passar. Por isso esta edição no Brasil do Mundial já é considerada a Copa das Copas.

Depois do sufoco do Brasil no último sábado, presenciamos ontem o sufoco da Bélgica, que foi barrada quinze vezes – isso mesmo, quinze! – pelo goleiro americano Tim Howard e só conseguiu passar com o gol de Rumelu Lukalu nos acréscimos!

E os Estados Unidos, sem muita tradição no futebol, usou o espírito competitivo além de boa preparação física para dar este trabalhão  nas oitavas. Já imaginou como deve ser para os jogadores americanos, manter uma alimentação saudável para o corpo de atleta, no país do fast-food?

A alimentação nos EUA é a preocupação de boa parte dos estrangeiros – principalmente os brasileiros – que gostariam de visitar o país. Pensando nisso, a Massima preparou um guia que prova que é possível alimentar-se bem na América.

1 – Não é só de fast-food que vive o americano

Claro que há outras boas opções de restaurantes. Há redes especializadas em carnes com pratos saborosos e ricos em ferro. Além disse, há a tradicional comida por quilo, onde você pode ter a alternativa de compor o prato como fazia no Brasil, dividindo fibras, carboidratos, ferro e tudo mais que precisar. Antes da viagem, verifique quais opções a cidade em que você vai ficar oferece.

2 – Faça você mesmo

Se você prefere ir para a cozinha e fazer seus próprios pratos, nos EUA isso também é possível. Num supermercado tradicional, fique atento na partes superiores das prateleiras, pois de fato, os hábitos de fazer a própria comida com ingredientes saudáveis é deixado de lado e a primeira vista você vai enxergar primeiro os enlatados e industrializados.

Há supermercados especializados na venda de produtos orgânicos, que podem ser identificados por adesivos e pela embalagem. O mais famoso no país é o “Whole Foods”, onde se oferece opções para veganos e intolerantes a lactose.

3 – Pratique esportes!

Em contraste com os péssimos hábitos alimentares que tem tornado boa parte da população americana obesa, os Estados Unidos é também um país muito competitivo e incentivador da prática de esportes. Desde a infância as crianças são direcionadas a práticas na escola e isso continua a ser um incentivo até na hora de entrar na faculdade. Os parques nas cidades estão sempre lotados de corredores e ciclistas que gostam de fugir do trânsito para se exercitar, e as praias, cheias de times de volei, além dos surfistas.

Então, nada melhor que aproveitar esta vida ativa do americano para praticar esportes, pois não basta alimentar-se bem, tem que por o corpo para funcionar. É muito fácil encontrar academias especializadas ou não, em um determinado esporte, além disso os grupos podem estar também pelos parques. Se intere nos hábitos, seja ativo, e ainda faça amizades com quem tem as mesmas preocupações que você: a vida saudável.

Os EUA estão fora da Copa do Mundo de Futebol, mas não da luta por uma vida saudável, basta querer. E agora? Já está fazendo planos para a viagem?