Saiba mais sobre a Fibrose Cística

Esta semana (dia 5), é o Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística, doença também conhecida como Mucoviscidose.
Trata-se de uma doença genética, autossómica (não ligada ao cromossoma X), causada por um distúrbio nas secreções de algumas glândulas, nomeadamente as glândulas exócrinas (glândulas produtoras de muco). O dia é importante justamente por ser uma  doença pouco conhecida, por isso a Massima faz sua parte na divulgação e conscientização da Fibrose Cística.

Imagem: O Globo

O que é:
A doença afeta principalmente o fígado, pâncreas e pulmões, devido a uma alteração genética em algumas glândulas, produzindo secreções mais espessas que o normal. Não tem cura.
Sintomas:
Por ser uma doença genética, os sintomas podem começar a se manifestar nos primeiros dias de vida da criança, e ela deve receber o tratamento adequado para evitar a piora do quadro.
Os sintomas mais comuns são: Suor salgado, dores e inchaço abdominal, prisão de ventre grave, gases, enjôo, emagrecimento, tosse crônica, cansaço, dificuldade para respirar, catarro espesso, febre, baixo desenvolvimento da criança e pancreatite.
Tratamento:
O nível de tratamento para fibrose cística depende da idade do paciente e do grau de evolução da doença, mas os objetivos do tratamento serão sempre a manutenção adequada do estado nutricional e o tratamento das complicações respiratórias.
Fazendo partes da estrutura do tratamento a ingestão de medicamentos, sessões de fisioterapia e orientação nutricional.
Alimentação:
A orientação nutricional é uma fase muito importante para o tratamento da fibrose cística, primeiramente por estar associada com o melhor crescimento, melhora ou estabilização da função pulmonar. E em segundo lugar, a desnutrição tem muitos efeitos na função pulmonar, incluindo a diminuição imunológica pulmonar.
Por isso é necessária uma dieta rica em energia e gordura para melhor crescimento e maior sobrevida.
Agora que você sabe mais sobre a doença, procure um médico para ser melhor orientado e se necessário, começar um tratamento.

Tags:

Deixe uma resposta