Direto do Forno - Blog

Mitos e verdades sobre o espinafre

Popularizado pelo desenho “O Marinheiro Popeye“, o espinafre foi eleito popularmente a verdura mais importante no prato, já que o personagem principal ficava muito forte assim que a consumia e vencia todos os problemas com tal força. Ao contrário do que as crianças achavam, não se esperava que ficassem tão forte e tão imediatamente, mas acreditava-se (e se acredita até hoje) que o espinafre é a principal fonte de força.

O espinafre é importante sim, e tem até nutrientes que dão força, só não como o desenho de 1953 nos fez acreditar. Conheça agora, outros mitos e também verdades sobre o espinafre para não ter dúvidas do porque ele é tão importante na alimentação.

“O espinafre da força”

Verdade: Como citado acima, o espinafre pode fortalecer sim, pois é rico em ferro, folato, vitamina do complexo B, vitamina A e cálcio. Mas não é tão eficaz a ponto de fazer criar músculos como sua lenda conta.

“Pessoas que sofrem de cálculos reinais ou males reumáticos não pode consumir espinafre”

Mito: Se consumida crua, a verdura pode ser benéfica a quem sofre de gota, artrite e reumatismo por causa do oxalato que é preservado dessa forma. É preciso moderar apenas no consumo do espinafre cozido, pois dessa forma os teores da substância são reduzidos. Quem tem problemas de cálculos, não precisa evitar a verdura cozida, basta reduzir o sal.

“Espinafre purifica o sangue”

Mito: Na verdade, o espinafre fornece o nutriente necessário para formar hemoglobinas, proteínas que transportam oxigênio pelo organismo. Tudo depende da quantidade ingerida e da necessidade e de outros fatores que interferem na sua absorção.

“Use recipientes de alumínio. Não reaqueça”

Verdade: Acessórios de inox contém níquel na composição, e mesmo que sua transferência seja pequena, pode prejudicar alguém que seja mais sensível a substância. Para evitar, prefira panelas de vidro ou ferro. O reaquecimento pode ocasionar maior pedra dos nutrientes, já que muitos já se perdem no primeiro cozinhamento. 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *