Especial Copa: Alimentação saudável nos EUA

As oitavas de final da Copa do Mundo 2014 é sem dúvida, a mais disputada de todas as Copas. Os jogos estão cada vez mais difíceis, e até os favoritos, os países campeões mundiais ou com estrelas em campo, tem sofrido para passar. Por isso esta edição no Brasil do Mundial já é considerada a Copa das Copas.
Depois do sufoco do Brasil no último sábado, presenciamos ontem o sufoco da Bélgica, que foi barrada quinze vezes – isso mesmo, quinze! – pelo goleiro americano Tim Howard e só conseguiu passar com o gol de Rumelu Lukalu nos acréscimos!
E os Estados Unidos, sem muita tradição no futebol, usou o espírito competitivo além de boa preparação física para dar este trabalhão  nas oitavas. Já imaginou como deve ser para os jogadores americanos, manter uma alimentação saudável para o corpo de atleta, no país do fast-food?
A alimentação nos EUA é a preocupação de boa parte dos estrangeiros – principalmente os brasileiros – que gostariam de visitar o país. Pensando nisso, a Massima preparou um guia que prova que é possível alimentar-se bem na América.
1 – Não é só de fast-food que vive o americano
Claro que há outras boas opções de restaurantes. Há redes especializadas em carnes com pratos saborosos e ricos em ferro. Além disse, há a tradicional comida por quilo, onde você pode ter a alternativa de compor o prato como fazia no Brasil, dividindo fibras, carboidratos, ferro e tudo mais que precisar. Antes da viagem, verifique quais opções a cidade em que você vai ficar oferece.
2 – Faça você mesmo
Se você prefere ir para a cozinha e fazer seus próprios pratos, nos EUA isso também é possível. Num supermercado tradicional, fique atento na partes superiores das prateleiras, pois de fato, os hábitos de fazer a própria comida com ingredientes saudáveis é deixado de lado e a primeira vista você vai enxergar primeiro os enlatados e industrializados.

Há supermercados especializados na venda de produtos orgânicos, que podem ser identificados por adesivos e pela embalagem. O mais famoso no país é o “Whole Foods”, onde se oferece opções para veganos e intolerantes a lactose.
3 – Pratique esportes!
Em contraste com os péssimos hábitos alimentares que tem tornado boa parte da população americana obesa, os Estados Unidos é também um país muito competitivo e incentivador da prática de esportes. Desde a infância as crianças são direcionadas a práticas na escola e isso continua a ser um incentivo até na hora de entrar na faculdade. Os parques nas cidades estão sempre lotados de corredores e ciclistas que gostam de fugir do trânsito para se exercitar, e as praias, cheias de times de volei, além dos surfistas.

Então, nada melhor que aproveitar esta vida ativa do americano para praticar esportes, pois não basta alimentar-se bem, tem que por o corpo para funcionar. É muito fácil encontrar academias especializadas ou não, em um determinado esporte, além disso os grupos podem estar também pelos parques. Se intere nos hábitos, seja ativo, e ainda faça amizades com quem tem as mesmas preocupações que você: a vida saudável.
Os EUA estão fora da Copa do Mundo de Futebol, mas não da luta por uma vida saudável, basta querer. E agora? Já está fazendo planos para a viagem?

Tags:

Deixe uma resposta