Receita: Filet Mignon grelhado com legumes

A lenda de que a carne vermelha é inimiga da saúde continua amedrontando muitas pessoas durante churrascos, diante do alimento. Muitos preferem as carnes brancas e magras por medo de engordar e outros males que vêm dessa lenda.

Mas já foi comprovado que a carne vermelha é tão necessária para o corpo quando as carnes brancas! Quando consumida na medida certa, a carne vermelha contribui para o bom funcionamento do corpo.

Fonte de proteínas, é um alimento que não tem substituto. Contém vitminas que não são encontradas em nenhum outro. Por isso, se você insistir em eliminá-la da dieta, é preciso consultar antes um médico.

A carne ajuda a complementar a lista de alimentos necessários para nosso corpo, por isso, prefira sempre pedaços com bons acompanhamentos, como grãos e legumes. Que tal começar com o exemplo da receita?

Entre as carnes vermelhas, o filé mignon está entre as mais saborosas e consequentemente é uma das favoritas dos amantes de uma boa carne. Preparado grelhado e com legumes, fica ainda melhor e mais saudável.

Você vai precisar de:

  • 1 limão, casca (ralada) e sumo
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de orégano
  • ½ colher de chá de sal
  • ¼ colher de chá de pimenta preta de moinho
  • 16 tomates Cherry
  • 250 gramas de cogumelos
  • 1 courgette cortada em cubos
  • 1 cebola, cortada em gomos
  • 500 gramas de filet mignon, cortado em 4 pedaços

Como fazer:

Ligue a grelha ou o grelhador do forno. Junte a casca de limão ralada, o sumo de limão, o azeite, o óregano, o sal e a pimenta numa tigela bem grande, criando uma marinada. Desta marinada, reserve 2 colheres de sopa. A restante, junte aos tomates, a courgette e a cebola, para temperar os legumes.

Coloque os legumes em 8 espatadas. Com a marinada reserva, pincele os bifes de filé mingon e leve ao grelhador juntamente com as espatadas. Grelhe os bifes por 5 minutos de cada lado e as espatadas por 12.

Coloque os legumes em 8 mini espetadas. Com a marinada reservada, pincele os bifes de filet mignon e leve ao grelhador, juntamente com as espetadas. Grelhe os bifes por 5 minutos de cada lado e as espetadas por 12 minutos, não se esquecendo de ir virando por todos os lados. Sirva as espetadas com os bifes. E depois é só servir.

Aprenda aqui, como escolher a carne no mercado.

Alimentação para combater a anemia

Excesso de sono, tontura, palpitações, falta de ar, perda de apetite… Se você tem se sentindo assim, cuidado: Estes podem ser sintomas de anemia.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a anemia ocorre quando os índices de hemoglobina no sangue estão abaixo do normal. Isto acontece graças a falta de nutrientes importantes, como ferro, zinco, vitamina b12 e proteínas, que são essenciais para o corpo.

Como a anemia mais comum é causada pela falta de ferro (a Anemia Ferropriva), é recomendável principalmente, muito ferro no prato de quem tem ou quer evitar a anemia.

Para isso, é bom investir em feijão, beterraba  e vegetais de folhas escuras, como brócolis, espinafre e agrião, sem esquecer da maior fonte de ferro entre os alimentos, a carne vermelha.

Potencializando os nutrientes:

O ferro é importante, mas fica melhor se não agir sozinho no seu corpo. A absorção do ferro pelo organismo pode ser potencializada pela ingestão de outros alimentos, como a vitamina C, que transforma o ferro descartável pelo corpo. Tomar um copo de suco de laranja durante uma refeição cheia de ferro por exemplo, é uma boa opção.

Os alimentos amargos (jiló, agrião, chicória) também auxiliam o organismo e ajudam a aproveitar melhor o nutriente, pois estimulam a secreção de enzimas digestivas, o que facilita a absorção do ferro.

Por outro lado, há o cálcio. Alimentos com muito cálcio prejudicam em até 60% essa absorção de ferro.  Por isso é preciso evitar consumir leite e seus derivados em uma refeição rica em ferro.

Evite também as fibras, como taninos e fitatos (encontrados no café, chá preto e chá mate), elas também diminuem o aproveitamento do nutriente.

O mais perigoso para a anemia no entanto, é ter uma alimentação pouco saudável, pobre de nutrientes e muito gordurosa. Se alimentar de apenas um nutriente e cortar elementos importantes sem qualquer orientação médica não é nada recomendável.

7 alimentos para a saúde do cabelo

O cabelo é um instrumento de beleza, pois contorna e define o rosto e ajuda até no visual. Por isso, investimos em vários produtos industrializados para cuidar do cabelo, especialmente quem quer fazê-lo crescer mais rápido. Mas é preciso lembrar que mesmo com a variedade proporcionada pela industria, o cabelo precisa de recursos naturais, para ganhar além de comprimento, força e brilho.

Alguns nutrientes se relacionam com a saúde capilar. Incluindo alimentos com estes nutrientes em sua dieta, você estará melhorando as chances de manter seu cabelo forte e bem formado.

Aposte nesta lista com 10 alimentos diferentes, com opções para todos os gostos, para a saúde do seu cabelo.

1 – Ameixas:

A ameixa já é necessária por manter o seu intestino funcionando, mas a fruta pode ajudar também a melhorar os fios do seu cabelo. A ameixa é uma fonte de ferro muito importante. A falta do ferro pode prejudicar o cabelo a ponto de causar queda, ressecamento, afinamento, rigidez e descoloração. Resumindo, o cabelo fica fraco, e a força que a ameixa proporciona pode ajudar a recuperá-lo.

2 – Ervilhas verdes:

As ervilhas verdes são muito bem balanceadas e oferecem uma vasta gama de vitaminas e minerais. Entre estes nutrientes, estão inclusos aqueles que são importantes para ter um cabelo saudável, que são: vitamina B, ferro e zinco.

3 – Aveia:

Assim como a ameixa, a aveia trás benefícios que ajudam também o coração e o intestino. Mas além de fibras, a aveia também contém muitos outros nutrientes importantes, como zinco, ferro e ácidos graxos como o ômega 6, também conhecidos como ácidos graxos poliinsaturados (PUFAs). Estes ácidos são essenciais para uma pele saudável, crescimento e desenvolvimento de pêlos. Os ácidos devem ser absorvidos através da dieta diária, portanto é importante acrescentar a aveia a suas refeições com mais frequência.

4 – Feijão:

Leguminosas como o feijão têm sido elogiadas por suas propriedades promotoras de um cabelo saudável. Não só são uma fonte de ferro e zinco, mas também são uma grande fonte de proteína. Estudos têm demonstrado que a deficiência de proteína pode levar a cabelos gravemente insalubres ou perda de cabelo, mais especificamente. Na verdade, as mudanças no cabelo foram até consideradas uma maneira de diagnosticar desnutrição protéica em pacientes hospitalizados na década de 1970.

5– Nozes:

A noz é uma das maiores aliadas dos cabelos saudáveis. São só por conter mais ácidos graxos ômega 6 que outros alimentos, mas também por ser obter muitos outros nutrientes importantes, tornando-se um pacote de nutrientes para fortalecer o cabelo. Nas nozes pode-se contar ainda com zinco, ferro, vitaminas B e muita proteína. As nozes são uma das melhores aliadas dos cabelos saudáveis.

6 – Ovos:

Os benefícios do ovo nunca acabam, é sempre possível descobrir novidades sobre sua eficácia. Os ovos contêm nutrientes essenciais em grandes quantidades, incluindo proteínas, vitamina B12, ferro, zinco e também ácidos graxos ômega 6. Além de ser também uma fonte rica em biotina (vitamina B7), que muitas vezes é prescrita juntamente com medicamentos para combater a queda dos cabelos.

7 – Sardinhas:

A sardinha é um alimento repleto de proteína, ferro, zinco, ômega-3, vitamina D e uma grande quantidade de vitamina B12. Um kit de sobrevivência capilar.

Mitos e verdades sobre a soja

A soja tem se destacado entre as leguminosas pois, além do seu alto valor nutricional – contendo proteínas, algumas vitaminas e minerais em quantidade superiores que os outros grãos – há a facilidade de variar com o alimento.

Presente em líquidos, como suco e leite, e sólidos como pão e bolachas, a soja torna-se uma excelente opção quando se quer aumentar a quantidade de proteínas da alimentação sem aumentar o consumo de alimentos de origem animal.

Porém, a quantidade de gordura presente na soja também é superior a de outros grãos, e mesmo que seja uma gordura vegetal (insenta de colesterol) acaba despertando dúvidas e até boatos sobre os benefícios e malefícios da soja para a saúde.

Listamos algumas perguntas típicas feitas a respeito da soja e vamos tirar de uma vez por todas, as dúvidas sobre o grão, para que você possa aproveitá-la da forma correta.

A soja é nutritiva e trás benefícios a saúde:

Verdade. A soja é rica em proteínas de alta qualidade, fibras, vitaminas e minerais, além de ser rica em gorduras boas (ômegas 3 e 6) e pobre nas gorduras ruins (saturadas). A soja pode ainda contribuir para o melhoramento dos níveis de colesterol no sangue, proporcionando benefícios a saúde do coração. Outros elementos existentes na soja podem fazer bem a saúde, como as isoflavonas.

A soja é uma opção para quem tem intolerância à lactose: 

Verdade. A bebida de soja pode sim ser uma alternativa para pessoas com alergia à proteína do leite ou com intolerância à lactose, mas, para isso, é preciso que haja orientação clínica e nutricional, garantindo a adequação calórica e a ingestão de todos os nutrientes para o desenvolvimento e a manutenção da saúde.

A soja tem um gosto ruim: 

Mito. Considerando que a soja é sempre consumida com preparações a partir do seu grão e da proteína presente, é difícil estabelecer essa máxima. Sempre consumimos soja mesclada com algum alimento, o maior exemplo disso são os sucos, que ganham um sabor diferente, mas continuam doces e saborosos.

O consumo de soja pode levar ao câncer de mama:

Mito. A frase não só é um mito, como na verdade é o contrário. Estimativas provam que o baixo índice de câncer de mama em alguns países tem a ver com o alto consumo de alimentos de soja nos mesmos. O Japão é um bom exemplo. Muitas evidências indicam, ainda, que consumir soja desde a infância ajuda a obter proteção contra esse tipo de câncer.

Alimentos feitos com soja devem ser evitado por causar alergias:

Verdade. Assim como a maioria das proteínas alimentares, a soja pode causar alergia em algumas pessoas, por isso quem tem alergia a proteína de soja, deve evitar os alimentos a base do grão.

Apenas 1 em cada 2.500 adultos apresenta alergia à proteína de soja (diagnosticada por um médico), enquanto o número de pessoas alérgicas à proteína do leite de vaca é 40 vezes maior. A prevalência de todas as alergias alimentares é maior em crianças do que em adultos. Entretanto, 70% superam suas alergias quando chegam aos 10 anos de idade.

Desintoxicação: cuidados pós-festas

Se passam as festas, se vão os convidados, a comida acaba, e o que resta é a sensação de queimação e indisposição. Este drama que se repete todos os anos após tanto comermos nas festas de Natal e ano novo pode ser evitado! Claro, que inicialmente seguindo as dicas que a Massima deixa a você todo final de ano. Mas, se for tarde demais para voltar atrás na comida pesada, o passo agora é desintoxicação.

1° Passo – Beba muita água:

É o básico para a hidratação adequada, é claro. Mas depois das festas é preciso ainda aumentar as doses, para substituir o álcool ou todo o gás do regrigerante do organismo, aliviando a sensação de ressaca e hidratando a pele.

2° Passo – Aposte nos chás: 

Uma barriga saliente pode surgir nos dias pós-festas, pois nesse período o corpo retém muito líquido. Para aliviar o problema e esta sensação ruim, aposte nos chás. Especialmente os que têm efeito diurético, como os chás verdes, de cidreira, erva-doce, capim-limão, maçã e camomila.

Uma sugestão para aproveitar os chás no verão, é deixar uma quantidade pronta de reserva na geladeira, para poder consumir gelado sempre que uma sensação ruim bater.

3° Passo – Mantenha um dieta leve:

Deixe de estimular a produção de toxinas no seu corpo, isso já aconteceu muito em dezembro. Comece janeiro com alimentos com ação alcalinizantes (que deixam o pH do sangue e de outros líquidos corporais menos ácidos).

Dessa forma você facilita a perda e a manutenção do peso. Os alcalinizantes recomendáveis são: aveia, alface, agrião, brócolis, couve, rúcula, rabanete, lentilha e melão.