É possível transformar refrigerante em suco?

Foto: Divulgação da marca

Para o empresário Gustavo Siemsen, é sim. Pai de duas filhas pequenas, ele se viu preocupado com o a saúde delas ao consumirem refrigerante, um dos principais responsáveis pelo aumento da obesidade no mundo. Pensando nesse problema, ele criou uma máquina que mistura suco de fruta natural e gás carbônico, inventando assim uma bebida com o mesmo sabor do refrigerante, só que sem os aditivos químicos ou açúcar.

Em uma embalagem divertida e atrativa para as crianças, está o resultado de anos de pesquisa, com o nome de Gloops. No site da marca, uma explicação do que é o produto. E os pais podem ficar tranquilos, pois em tempos de maus cuidados (como rato dentro de garrafas de refrigerante), a marca garante não só sabor, mas também higiene.”Pegamos as melhores frutas disponíveis, higienizamos, higienizamos de novo, esprememos, misturamos com outras frutas, adicionamos gás e pronto!”

Foto: Divulgação da marca

A marca ainda lança uma pergunta: “Gloops é um suco divertido ou um refrigerante que faz bem?”. O jeito é conferir. Mais informações no site.

10 alimentos que controlam o colesterol alto

Quem sofre com problemas consequentes de colesterol alto deve manter uma dieta regrada para poder viver bem e com saúde.

Cuidar do colesterol afasta risco de infarto e derrabe cerebral, além de outras doenças como Mal de Alzheimer. Selecionamos 10 alimentos que mantém bem longe as doenças do coração e ajudar a equilibrar os índices de colesterol:

Peixes: Prefira o salmão, atum e truta, pois neles se concentram as maiores fontes de ácido graxo ômega 3, um tipo de gordura boa, insaturada. A gordura insaturada ajuda nos níveis de triglicerídeos, reduzindo o risco de formação de coágulos no sangue, além de torna-lo mais fluido, sendo uma importante ferramenta de combate a doenças cardiovasculares.

Azeite: Fonte de ácido oléico, que regula as taxas de colesterol e protege de doenças cardíacas, o azeite faz bem ao aparelho cardiocirculatório, e ainda é uma grande fonte de antioxidantes, como vitamina E.

 

 

 

 

 

Alcachofra: As fibras da alcachofra são resistentes a ação de enzimas, por isso apresentam muitas vantagens, como diminuição dos níveis de colesterol e triglicérides sanguíneos, redução do risco de obesidade e diabetes e fatores de risco para a saúde do coração.

 

Laranja: Os flavonoides, substâncias antioxidantes presentes na fruta, diminuem os níveis de LDL no organismo, pois limitam a absorção do colesterol no intestino.

 

 

 

 

Vinho: Se a ingestão da bebida for moderada, entre uma ou duas doses por dia), ela é capaz de promover a elevação de aproximadamente 12% nos níveis de HDL, o colesterol bom, semelhante à encontrada com a prática de exercícios. Os mesmos flavonoides presentes na  laranja são o que garantem a quantidade necessária de antioxidantes, vasodilatadoras e anti-coagulante plaquetária.

 

 

Linhaça: A semente de linhaça é um dos alimentos mais ricos em ômega 3, logo, é responsável pela prevenção de doenças cardiovasculares, e por evitar coágulos ao diminuir as taxas de colesterol total de colesterol ruim e aumentas a de colesterol bom. Aposte na semente moída ou triturada, pois seus benefícios se potencializam.

 

 

Canela: Consumir meia colher de sopa de canela por dia tem papel importante no combate ao colesterol ruim, tal redução é resultado da ação da grande quantidade de antioxidantes presentes na canela.

 

 

 

 

Soja: A soja é uma excelente opção para quem quer proteger o coração, pois ajuda a diminuir o colesterol ruim e aumentar o colesterol bom, além de fortalecer o organismo de infecções.

 

 

Açaí: O grande teor de gordura presente no açaí pode ser reaproveitado se considerarmos as gorduro monoinsaturadas, que estão presentes em 60% do alimento e as poli-insaturadas, presentes em 13%. Essas gorduras são importantes na redução do colesterol ruim e na melhora do colesterol bom, e contribuem na prevenção de doenças cardiovasculares.

 

 

 

Chá verde: Os flavonoides encontrados neste tipo de chá funcionam como antioxidantes e ajudam a prevenir a inflamação dos tecidos. Estas substâncias ainda protegem da formação de coágulos no sangue, principais causas de problemas no coração.

 

É importante lembrar que é preciso manter uma vida ativa, com praticando exercícios físicos regularmente. Só assim, equilibrando boa alimentação e exercícios, é possível manter as taxas de colesterol bom (HDL) e ruim (LDL) em perfeito equilíbrio.

Dia 16 de outubro: Dia da Alimentação

No dia 16 de outubro de 1945, foi criada a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (Food and Agriculture Organization – FAO), com o objetivo de elevar os níveis de nutrição e desenvolvimento rural no mundo. Comemorando o surgimento da Organização, em 1981, foi instituído o Dia da Alimentação, reconhecido em 150 países.

O FAO atua como um fórum neutro, onde os países desenvolvidos ou em desenvolvimento, se reúnem em igualidades para negocias acordos, debater políticas e impulsionar iniciativas estratégicas no combate a fome. Atualmente a FAO tem 191 países membros, além da União Européia.

No dia 16 de outubro, tornou-se tradição nos países que aderem a data, organizar atividades que mobilizam os cidadãos com o objetivo de reduzir a fome, que afeta 925 milhões de pessoas que não têm acesso à alimentação saudável e de qualidade.

No Brasil, o dia é comemorado com ações do Fome Zero, do Governo Federal, saiba mais clicando aqui.

 

5 dicas para combater a obesidade infantil

Nesta semana temos duas datas muito importantes, a primeira, no dia 11, é o Dia Nacional da Prevenção da Obesidade, data criada há dez anos pela Federação Latino-Americana de Obesidade e reconhecida pelo Governo Federal em 1999, e no dia 12, o Dia das Crianças.

Dois assuntos que nos preocupamos hoje em dia, a alimentação das crianças, que se vêem cercados por opções calóricas e a consequência do excesso, a obesidade, que pode levar a complicações como diabetes, hipertensão, lesões nos ossos e articulações, infarto e outras enfermidades.

A obesidade tornou-se uma epidemia que faz cada vez mais crianças terem que recorrer a medicamentos e tratamentos prescritos para adultos ou idosos. Uma pesquisa da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2009, mostrou que cada três crianças de 5 a 9 anos estava acima do peso recomendado.

Claro que programas e ajudas do governo são necessárias, uma vez que o problema tornou-se mundial. Mas é preciso que os cuidados comecem em casa, com  a supervisão dos pais sobre os hábitos e alimentação dos filhos, lembrando que seus próprios hábitos os influenciam.

Para evitar ou combater este mal, preparamos um guia das providências a serem tomadas:

1 – Refeições completas e horários:

As crianças tenham de cinco a seis refeições diárias, principalmente café da manhã, almoço e jantar, alternando com lanches nos três períodos.

É importante que sejam refeições completas e saudáveis, sem petiscos com salgadinhos e doces, além de se estabelecer horários, para que a criança aprenda a importância de cumprir a obrigação de comer bem.

O típico arroz e feijão não pode ser descartado, e sempre encorajado, além de cereais integrais, laticínios, legumes e verduras. Adicionando frutas como opções de sobremesa, concentrado as refeições em nutrientes.

2 – Valorize o ambiente familiar:

Não se deve incentivar a preguiça, hoje é comum que crianças queiram realizar atividades simples diariamente em frente a televisão, por exemplo.

Mantenha diariamente um ambiente familiar, em torno da mesa, valorizando o horário da refeição, lembrando a criança que aquela é hora de parar e se concentrar em comer.

Crie diálogos e brincadeiras para ajudar a criança a se interessar pelo seu prato, mas não insista em a fazer comer, o clima de repressão vai fazer com que a criança não goste daquele horário.

3 – Monitore os lanches na escola:

É sempre recomendável que a criança leve o lanche da escola de casa, onde pode encontrar mais facilmente opções saudáveis, como fruta, sanduíches naturais e biscoitos.

Evite bolachas recheadas, refrigerantes, salgadinhos e refrigerante, estes alimentos podem interferir negativamente no apetite das crianças e atrapalhará as outras refeições do dia.

É importante que a criança saiba a importância de levar os lanches saudáveis para a escola, os pais devem explicar que é para o bem de sua saúde.

Se em último caso, a criança não puder levar lancheira para a escola, e tiver que comer a merenda ou comprar comida no local, peça a diretora para mostrar o cardápio semanalmente ou visite a cantina e as opções a serem vendidas, explique ao seu filho quais alimentos pode escolher dali.

4 – Incentive a prática de atividades físicas:

Mais uma vez é importante a participação da família, passeios de bicicleta, corrida e futebol na praia ou no parque e até pular corda em família é estimulante. A criança vai querer sempre repetir as atividades e convidar os amigos para elas.

Se o video-game sempre acabar vencendo na negociação, apresente jogos interativos, de esportes, obrigando a criança a se mexer, até que ela comece a se interessar por estas atividades do lado de fora do próprio quarto.

5 – Estimule a mudança no estilo de vida:

As crianças aprendem por imitação, todas estas dicas devem ser seguidas pelos pais, não somente pela criança. Dessa forma ela vai aprender quais os hábitos corretos a se seguir e vai leva-los para a vida toda.

O risco de doenças crônicas não transmissíveis como a obesidade pode ser modificado com esta melhora de estilo de vida, portanto, invista no seu filho agora, pensando em seu futuro saudável.

Leia mais:

Mais dicas sobre como montar uma lancheira saudável para seu filho

Alimentação para crianças

As verduras da primavera e seus benefícios

A primavera é a estação que chega com promessas de bom plantiu e colheita de flores… E verduras e vegetais também! Conheça três dos que mais crescem nessa época, e seus benefícios:

Aspargo:

É um ingrediente a ser adicionado a sua cozinha! O seu potencial diurético, e as propriedades nutricionais surpreendem. O aspargo possui em sua composição aminoácidos de alto valor biológico como a aspargina e a arginina, além de um extenso leque de vitaminas e minerais.

É aconselhado para doentes com problemas de vesícula e de rins, mas pode ser também utilizado como depurativo, desempenhando um efeito muito positivo para a limpeza da pele, e como ajuda no emagrecimento, graças ao seu baixo valor calórico.

Beterraba:

Apesar da grande quantidade de açucares, que fazem da verdura perigosa aos diabéticos, se consumida em grandes porções, é possível encontrar grandes benefícios, começando pela vitamina C, que é potencializada por sua ação antioxidante. A beterraba combate ainda a anemia, a perda excessiva de líquidos, problemas do baço e fígado e prisão de ventre.

A beterraba proporciona ainda um leque de opções na hora de consumi-la, podendo ser cozida ou crua, ou ainda em forma de sucos, saladas, bolos, refogados e em omeletes. Na hora de comprar a verdura, prefira as de coloração concentrada e preste atenção para o tamanho, pois as beterrabas médias e pequenas são as mais recomendadas, e para a casca, que deve estar lisa.

Espinafre:

A hortaliça que ficou famosa por dar força é na verdade uma fonte de substância antioxidantes responsáveis por bloquear as substâncias causadoras de câncer, além de ser grande fonte de vitamina A e C. O folato, também abundante no espinafre, é importante para gestantes, ajudando a prevenir defeitos neurológicos no bebê.

Agora ficou mais fácil de selecionar as verduras nesta estação?