Receita: Sopa Anti-inflamatória

A noite o gasto energético do organismo é muito menor, por isso, é importante ter uma alimentação leve e balanceada antes de dormir (mas não deixar de jantar!) Uma opção ideal para quem procura essa leveza durante a noite é a sopa. A sopa substitui, sem prejuízo nutricional, uma refeição completa, além de garantir saciedade.

Uma boa opção para a dieta da sopa é a Sopa Anti-inflamatória. Como o nome sugere, ela reduz os marcadores inflamatórios e a resistência à insulina, colaborando para o emagrecimento.

Para preparar a sopa anti-inflamatória, uma receita rápida e prática de uma porção.

Você vai precisar de: 

  • 1 porção do caldo básico
  • 1/2 xícara de chá de inhame (ou batata) cozido, em cubos
  • 1/2 xícara de chá de couve-flor picada
  • 2 ramos de alecrim
  • 1 colher de café de gengibre em pó (ou fresco ralado)
  • Sal a gosto
  • 1 xícara de chá de frango (ou carne) cozido e desfiado

Como fazer: 

Bata o caldo básico com o inhame (ou a batata) no liquidificador. Depois leve no fogo, junte com a couve-flor e deixe ferver por 10 minutos. Adicione o alecrim e o gengibre, ajuste o sal e cozinhe por mais 1 minuto. Acrescente o frango (ou a carne).

Pão integral: qual escolher?

Os pães integrais tem ocupado um grande espaço nas gôndolas dos supermercados, desse modo, você se vê diante de várias opções na hora de comprar. São mais de 130 tipos, entre eles, 100% integral, sete grãos, 12 grãos, soja, quinua.

Com essa variedade, é fácil se perder na hora de comprar, pois um pão vendido como mais saudável nem sempre tem muito mais nutrientes do que o tradicional pão branco.

Nos Estados Unidos, um produto precisa ter pelo menos 51% de grãos integrais para ser denominado integral. Como no Brasil não existe uma legislação que regulamenta essa avaliação, aqui essa regra não é válida.

  • Lendo o rótulo: 

O primeiro passo para aprender a comprar o pão integral, é aprender a ler o rótulo do produto. Observe primeiro se há todas as informações obrigatórias na embalagem: a quantidade de calorias, carboidratos, proteínas, gorduras, fibras e sódio, todas informações exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Depois de confirmar se há as informações básicas necessárias, observe mais atentamente o rótulo, onde pode-se constatar, por exemplo, que a quantidade de grãos num pão pode não significar mais fibras em relação a outro com menos grãos, tudo depende de sua composição e receita.

  • Obtendo todos os benefícios:

O pão integral ideal para fornecer mais benefícios, é o que contém de 50% a 85% de grãos integrais, como aveia, trigo, linho, centeio e linhaça. É importante  também, verificar o teor de fibras. O ideal são pães que têm duas gramas de fibras por fatia.  Outro componente que merece atenção na hora da compra, é o sódio, que se em grande quantidade, traz prejuízos ao controle da pressão arterial. Se houver duas opções ou mais com a mesma quantidade de fibras, prefira a que tem menos sódio. Os pães integrais devem ter em média, 33% menos sódio do que os pães brancos.

Um pão integral de boa qualidade, além de ser mais nutritivo devido às fibras e às vitaminas, melhora o funcionamento intestinal e promove uma digestão lenta, proporcionando uma sensação de maior saciedade. Por dia, recomenda-se a ingestão de 25 a 30 gramas de fibras. Mas o ideal é que o pão não seja a única fonte delas.

Mantendo a dieta e a vida social

Está difícil manter a dieta diante dos convites para happy hours em bares com suas porções de frituras ou festas de família e bolos super calóricos, e outros eventos da sua vida social? Calma, não precisa parar de sair de casa, ou fugir dos colegas de trabalho no fim do expediente! Tudo o que você precisa é de concentração e determinação.

    • Conte com os amigos e a família: 

    Deixe claro que está de dietas, que tem metas e que está determinadas a cumpri-las. Muitas pessoas acham que dieta é coisa boba ou “frescura” e podem não entender, por isso é preciso que tenha pulso firme a explicar a importância dessa mudança na sua vida. Claro que esta mudança é algo pessoal e só você pode cumprir sua própria meta, mas explicando as pessoas próximas de você que não quer errar nisso, elas podem colaborar escolhendo lugares com uma opção mais variada no cardápio, ao invés de fast-foods, onde eles possam escolher o que eles querem e você também, mantendo sua dieta.

    • Em casa: 

    Em alguns lugares é inevitável não esbarrar em guloseimas, como no cinema, por exemplo. Claro que você não vai deixar de assistir um filme porque está de dieta, mas também não precisa comprar tudo só porque foi ao cinema. Nesses casos em que você já sabe que será difícil não cair em tentação, tente fazer um lanche reforçado em casa, vá sem fome.

    Se a reunião com os amigos for acontecer na sua casa ofereça lanches saudáveis aos seus convidados, você não vai desagradar ninguém, a final, está fazendo o bem para todos, e há opções muito saborosas.

    Se ainda acha que seus amigos preferem coisas mais gordurosas, seja criativo! Faça uma adaptação das receitas, com aperitivos com calorias adequadas à dieta.

    Mas não seja rígido, não precisa convencer todos os seus amigos a entrarem na dieta com você, lembre-se que este é seu objetivo. E para todo mundo é permitido uma pequena folguinha na alimentação, até para você.

    • No caso de sair da linha: 

    Se nem mesmo você estiver com motivação para perder peso, não adianta contar com a ajuda dos seus amigos, eles podem te apoiar e até animar, mas a garra depende somente de você.

    Tente manter um diário onde você anota tudo o que você come diariamente, incluindo nos happy hour (tente usar um aplicativo no celular como já falamos aqui no blog) Assim fica mais fácil você adotar uma alimentação mais saudável e saber se dá para para fazer concessões e sair um pouco da dieta.

A batata doce como aliada no emagrecimento

Muitas dietas ditam que é preciso abrir mão dos carboidratos na alimentação, pelo menos no início do processo de emagrecimento, para que ele seja mais rápido. Mas os carboidratos são responsáveis por dar energia, então, principalmente quem, além da dieta, prática muitos exercícios físicos, não deve dispensar os carboidratos da rotina.

Ficou confuso? Comer ou não comer carboidratos? Se a ideia é perder peso, invista sim em carboidratos para manter a energia. Que tal o carboidrato “do bem”, como a batata doce?

É o alimento queridinho de fisiculturistas e atletas, é recomendada não só para quem quer energia na hora de malhar, mas para quem quer emagrecer também. Com um baixo índice glicêmico, e apenas 116 calorias a cada 100 gramas, a energia contida na batata doce é liberada gradualmente no organismo, aumentando a sensação de saciedade.

Além disso, a batata doce apresenta maior teor de vitamina A e de cálcio do que abatata normal. Ela também é fonte de vitamina C, fósforo e potássio, o que garante fonte de energia para seu metabolismo. Já a vitamina A, reforça o poder antioxidante na batata.

Consumo: É importante que a batata doce seja consumida cozida ou assada (na sopa ou como purê), nada de óleo ou outras gorduras.

 

5 ideias para aproveitar os benefícios do ovo

Das principais lendas sobre o alimento, a principal história contada é que o ovo é um grande vilão para a alimentação saudável. É comum ouvir que o ovo aumenta o colesterol, e traz riscos de doenças cardiovasculares.

Mas estudos já comprovam que este aumento de colesterol no alimento é pequeno, e não chega a um nível de causar problemas para a saúde.

Não só o ovo tem pouco perigo, como tem seus benefícios. O ovo é rico em uma substância que se chama colina, que é excelente para o sistema nervoso central, para a transmissão dos impulsos nervosos, e para toda parte da membrana da célula.

No ovo também é possível se beneficiar de nutrientes como o cálcio, presente inclusive, na casca do alimento, além de ferro, as vitaminas do complexo B, A e D, e antioxidantes como a luteína e a xantina – que protegem a visão.

Pensando nos benefícios do ovo, a Massima preparou ideias de como consumi-lo de forma saudável, evitando claro, as frituras.

1 – Prefira o ovo cozido 

Ovos Cozidos

O alimento cozido elimina as gorduras presentes no frio, que podem ser prejudiciais à saúde. É menos calórico, o ovo frito tem em média 107 calorias, contra apenas 75 do ovo cozido, é só fazer as contas. 

 

 

 

 

2 – Acrescente ovos à salada 

ovo na salada

Uma forma de variar o cardápio com ovos cozidos, é acrescenta-los a salada.

O alimento enriquece o prato com sua fonte de proteínas e ainda deixa a salada mais saborosa.

Quem não é fã de legumes no prato pode ficar mais interessado com essa nova opção na salada.

 

3 – Use água para fritar 

Ovo Frio na Água

Se não conseguir desapegar do hábito da fritura, existe a opção de “fritar” o ovo com água.

É possível substituir a fritura que deixa o alimento gorduroso e menos saudável, como óleos e manteiga.

Até mesmo os óleos vegetais, como os de soja, milho, girassol, oliva e linhaça não são muito recomendáveis na frigideira, pois quando submetidos ao calor, os óleos se transformam em gordura trans.

4 – Use a criatividade nas omeletes

Omelete

Aposte em verduras e temperos para sua omelete, tomate, cebola, cenoura, abobrinha, chuchu e muitos outros vão bem fatiados ou ralados, criando um prato saudável e rico em nutrientes.

Mas lembre-se sempre de fugir da fritura, uma opção é assar

Em vez de fritar a omelete, você pode fazê-la assada, eliminando a gordura do óleo ou da manteiga que seria usada para fritá-la. Basta dispor a mesma mistura que ia na frigideira, em uma assadeira untada e enfarinhada.

5 – Cuidados com a conservação 

Ovos

O ideal é guardar os ovos sempre fora das embalagens de papelão e dentro da geladeira.

Antes de usa-los, lembre-se de lavar os ovos. Mas somente antes de usar, se lavar logo que comprar e depois guarda-los, estará comprometendo a camada que os protege contra bactérias, deixando o alimento mais suscetível a contaminação.